• Mateus BIMY

3 Insights com o Mapa de Oportunidades de Negócios

O Mapa de Oportunidades de Negócios, ferramenta ensinada na Certificação de Inovação Profissional do Instituto Global de Gestão de Inovação (GIMI), é um recurso que pode diferenciar o seu negócio no momento de definição estratégica para o desenvolvimento de projetos inovadores. De uma maneira visual e com diversos elementos textuais para dar clareza ao que precisa ser conectado, o Mapa de Oportunidades de Negócios serve como uma espécie de guia e orientador que, ao mapear o estado atual/futuro da empresa e trazer características como necessidades emocionais de clientes, ativos físicos, competências e localizações, coordena e mostra uma variedade de pontos que podem ser conectados para gerar um modelo de inovação único. Existem 5 considerações necessárias para gerar Insights de Oportunidade, para criar o Mapa, que capturam os aspectos (presente e futuro):

1. Sua empresa: Mapear a situação e estado atual; como se encontra a empresa hoje.

2. Competidores: Pense como a competição e o mercado tem atuado

3. Futuro: Olhe para o futuro com diferentes cenários

4. Cadeia de valor: Coloque-se no lugar de outro líder ou empresa

5. Adjacências: Busque novos parceiros, novos movimentos.

Feito isso, será necessário organizar os pontos de maneira distribuída em cinco grandes linhas diferentes. Cada linha tem uma finalidade principal de orientação estratégica e também são feitas 5 divisões ou fatores levados em conta, sendo eles:



Mercado (Consumidores, necessidades e experiências)

• Quais são os segmentos de mercado que buscamos?

• Quem pode ser nosso usuário líder ou influenciadores?

• A quais necessidades do consumidor nós servimos?

• Que tipo de experiências nosso consumidor recebe?

Entrega (Ocasiões, locais e canais)

• Em quais locais nossa oferta é entregue?

• Através de quais canais nossa oferta é fornecida?

• Que tipo de logística a oferta envolve?

• Quando nós ofertamos isso?

Oferta (Produtos, serviços, marca)

• Quais produtos/serviços estão sendo oferecidos?

• Quais são as experiências que nossas ofertas tem oferecido?

• Como é a oferta da marca?

Produção (Competências, Ativos, Tecnologias)

• Que ativos (equipamentos, habilidades humanas, etc) nós usamos para criar a oferta?

• Que tecnologias nós utilizamos para desenvolver e entregar a oferta?

• Quais os processo que temos para criar a oferta?

• Quais competências nós precisamos?

Modelo de Negócios (redes, parcerias, estrutura de custos/receitas

• Quais redes ou parceiros nós utilizamos?

• Que estratégia de preços nós utilizamos? Veja esse exemplo à seguir construído para uma empresa do setor financeiro:


Ao descobrir essas respostas você chegará mais perto de um mapa assertivo que aprimora seu modelo de inovação. Disso você pode tirar diversos insights, mas irei falar de apenas 3 deles:

1º - Percepção sistêmica do negócio: Ao você levantar tantos pontos sobre o seu negócio, você passará a ter uma ampla noção do funcionamento e das suas relações nos mais diferentes aspectos. Entender as características do negócio e as conexões para os diferentes estados da empresa faz com que sua gestão seja mais apurada e assertiva no momento de tomada de decisões. Uma noção sistêmica é muito relevante para entender do relacionamento com stakeholders, das entregas/ofertas de valor da empresa, dos processos e fluxo produtivo e os impactos que podem ser gerados com ações propostas em um mapa.

2º - Coordenadas de projetos inovadores: Ao desenhar e sintetizar num CANVAS o roteiro à ser seguido por um projeto, você conseguirá ter mais clareza sobre sua atuação e sobre o esforço que será demandando para torná-los realidade e fazer com que saiam do papel. Buscando levantar diferentes pontos, unindo e combinando os elementos para formar um conceito de negócios, lhe trará às mãos informações para montar modelos ou projetos únicos, que serão a base para seu caso de negócios (Business Case). Através desse mapa você consegue formatar estratégias de diversificação, desenhar e montar táticas imponentes, alimentando e servindo de insumo para operações mais produtivas.

3º - Exercitar o pensamento estrutural: O estruturalismo é uma abordagem de pensamento compartilhada pela psicologia, filosofia, antropologia, sociologia e linguística que vê a sociedade e sua cultura formadas por estruturas sob as quais baseamos nossos costumes, língua, comportamento, economia, entre outros fatores. Não diferente disso, a sua empresa formará uma cultura e os colaboradores passarão a ter hábitos e estímulos em cima da orientação proveniente desse mapa (ao menos deveria ser assim). Ao você estruturar um mapa assim é bom que você tenha claro ou colha dados de pessoas chave para o funcionamento da organização para que as estruturas de inovação que você montar realmente façam sentido e sejam aplicadas. Ao se permitir à utilizar essa ferramenta para estruturar seus pensamentos e percepções sobre o negócio, também estará estruturando conceitos sobre sua realidade e sobre a visão destinada à seu negócio.

4 views0 comments